17 de abr de 2011

Último ditador da Argentina é condenado à prisão perpétua


Reynaldo Bignone (foto), 83 anos, foi punido por crimes contra a humanidade.Ele presidiu o país em 1982 e 83 e cedeu o poder ao civil Raúl Alfonsín.

Segundo organismos de defesa dos direitos humanos, mais de 30 mil pessoas desapareceram na Argentina durante a ditadura, e 500 crianças, filhos de desaparecidos, foram roubadas ou entregues a repressores, das quais 103 já recuperaram sua identidade.

Além de enfrentar este processo, Bignone é um dos oito acusados em um julgamento que começou em fevereiro por 35 casos de roubo de bebês durante a ditadura.



"Estes repressores são perigosos, não importa sua idade. Nunca se arrependem do que fizeram", disse Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio, após a leitura da sentença, que foi recebida com aplausos por militantes pró-direitos humanos.

Parabéns povo e justiça da Argentina por
não deixarem impunes os crimes cometidos pela Ditadura Militar!

Acesse a matéria completa aqui


Fonte: G1 14/04/2011 19h45 - Atualizado em 14/04/2011 21h40

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)