30 de mai de 2013

Mais um episódio do FAROESTE GOIANO: encontrado paredão e cemitério clandestino em Goianira

 

cisterna Cemitério Clandestino

Policiais trabalham no resgate do corpo encontrado em cisterna (Foto: Gabriel Trindade/G1)

A Polícia Civil encontrou no final da manhã desta quarta-feira (29), em um lote abandonado do Bairro Nova Goianira, em Goianira, na Região Metropolitana de Goiânia, partes do corpo de um homem ainda não identificado dentro de uma cisterna de aproximadamente 30 metros de profundidade. De acordo com delegado do Grupo Especial de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Alexandre Lourenço, uma testemunha indicou o local como um cemitério clandestino usada por um grupo de extermínio denunciado na região.

Paredão
No terreno, os policiais também encontraram um muro que possivelmente serviria para “fuzilar” pessoas. "Foram extraídos 17 projéteis de arma de fogo, algumas cápsulas e alguns outro elementos", informou. Os projéteis foram levados para exame de perícia.

Lourenço não descarta a possibilidade do local ter sido usado pelo grupo para tortura. "Tem alguns sinais no chão e uma roupa que estava impregnada com uma substância que a gente não pode definir qual é, mas que se assemelha a sangue. Esses objetos foram apreendidos e encaminhados para o Instituto de Criminalística para que seja periciado". afirmou.

Veja reportagem completa AQUI


Veja mais sobre a “Operação Resgate”:

Morador relata medo em cidade onde 60% dos PMs foram presos: 'faroeste'

PMs estão entre os 100 presos em ação da Polícia Civil, em Goiás

29 de mai de 2013

Crianças proibidas de ver - artigo de Fernando Reinach*

 

Bebe olhando pra frente

Muito otimistas, os seres humanos associam a palavra novo à palavra melhor. Gostamos de descrever as mudanças na nossa vida como "o progresso da humanidade".

Mas o novo não é sempre melhor. A redescoberta dessa afirmação óbvia é uma das novidades deste início de século e tem aumentado nosso interesse pelo modo de vida nas sociedades ditas primitivas. Você segue a dieta do caçador ou é vegetariano? Que tal corrermos descalços? Educar em casa ou na escola? E o colchão, não deveria ser mais duro?

Nosso passado é longo. Os ancestrais do Homo sapiens surgiram 1 milhão de anos atrás. Durante os primeiros 800 mil anos viveram coletando o alimento de cada dia, todo dia, o dia todo. Vagavam pelas estepes e florestas africanas, fugindo dos predadores. Nós, os Homo sapiens, surgimos faz aproximadamente 200 mil anos e somos descendentes dos indivíduos que sobreviveram a esta intensa seleção natural que durou 800 mil anos.

Nestes últimos 200 mil anos, ainda passamos 185 mil deles vivendo em pequenos grupos, coletando raízes, caçando, pescando, nos espalhando por diversos continentes. Os nossos antepassados que sobreviveram a esse tipo de vida descobriram a agricultura e domesticaram os animais faz 15 mil anos. Neste período, passamos 10 mil anos em pequenas vilas. Faz talvez 5 mil anos que nos organizamos em cidades maiores e somente há 200 anos ocorreu a Revolução Industrial.

Nesta história de 1 milhão de anos, o passado recente não é a Revolução Francesa ou a locomotiva a vapor, como insistem os currículos escolares. O ontem é o fim da Idade da Pedra, a organização social de tribos nômades e o modo de vida dos primeiros agricultores. O carro e a internet surgiram faz alguns segundos.

O novo livro de Jared Diamond, The World Until Yesterday (O Mundo Até Ontem, em tradução livre), é sobre esse ontem e sobre o que ele pode nos ensinar. São 500 páginas de observações fascinantes. Aqui vai um aperitivo para aguçar seu apetite.
Nas sociedades tradicionais, as crianças, antes de aprenderem a andar, são carregadas pelas mães. Em todas as culturas tradicionais, logo que a criança consegue firmar o pescoço, ela é transportada na posição vertical. Pode ser nas costas ou na frente da mãe, seja com o auxílio dos braços ou utilizando dobras das roupas ou artefatos construídos para esse fim.

Nessa posição, o campo visual da criança é aproximadamente o mesmo da mãe. Ela olha para a frente e pode observar todo o ambiente em sua volta praticamente do mesmo ângulo e da mesma altura da mãe. O horizonte, as árvores, os animais e seus movimentos são observados pela criança da mesma maneira que a mãe observa seu ambiente. Quando um pássaro canta e a mãe vira a cabeça para observar, a criança também tem uma chance de associar o canto do pássaro à sua plumagem. A criança observa o trabalho de coleta de alimento da mãe, como ela prepara a comida, o que a assusta, o que provoca o riso ou a tristeza na mãe. Carregar uma criança na posição vertical faz parte do processo de educação.

Isso era ontem. E como é hoje? Inventamos o carrinho de bebê. As crianças menores são transportadas deitadas de costas, olhando para o céu (ou para a face da mãe). A criança não compartilha a experiência visual da mãe, não consegue associar as expressões faciais da mãe a objetos e sentimentos. Os sons ouvidos pela criança dificilmente podem ser associados a experiências visuais, atividades ou sentimentos. Deitadas, as crianças modernas só observam o teto (dentro de edifícios) ou o céu (ao ar livre).

Como o céu é claro e incomoda a vista, muitos desses carrinhos possuem uma coberturas de pano, o que restringe ainda mais o campo de visão e empobrece a experiência visual da criança. Não é de espantar que um bebê, cujos ancestrais foram selecionados para aprender a observar o meio ambiente desde o início de sua vida, fique entediado. Mas para isso temos uma solução moderna: uma chupeta que simula o bico do seio da mãe. Hoje, carregar uma criança é considerado um estorvo, mas nossa nova solução distancia fisicamente a criança da mãe e não permite que elas compartilhem experiências sensoriais. Transportar uma criança deixou de fazer parte do processo educacional.

Hoje sabemos que o desenvolvimento do córtex visual, a parte do cérebro que processa imagens, não termina durante a vida fetal, mas continua após o nascimento e depende do estímulo visual constante para amadurecer. Os carrinhos de bebê de hoje são mais novos, mas será que são melhores?

É incrível, mas hoje, numa época em que educar para o futuro é o lema de toda escola, numa época em que tentamos alfabetizar as crianças cada vez mais cedo, abandonamos o hábito milenar de permitir que as crianças olhem para a frente e compartilhem as experiências vividas por suas mães.

* Fernando Reinach é biólogo.

Colaboração de Eleonora Ramos, jornalista e coordenodora do Projeto Proteger, Salvador/Bahia.

Fonte: - O Estado de S.Paulo, 26 de maio de 2013.

 


Veja mais sobre o assunto:

Bebê carregado no colo se torna uma criança mais confiante

26 de mai de 2013

“…você é a sua criação mais valiosa”.

Angel de Català Roca

Se um dia alguém fizer com que se quebre
a visão bonita que você tem de si,
com muita paciência e amor reconstrua-a.
Assim como o artesão
recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão,
sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante,
você é a sua criação mais valiosa.
Não olhe para trás.
Não olhe para os lados.
Olhe somente para dentro,
para bem dentro de você
e faça dali o seu lugar de descanso,
conforto e recomposição.
Crie este universo agradável para si.
O mundo agradecerá o seu trabalho.

Brahma Kumaris

 


Foto: Francesc Català-Roca, Ángel del pesebre viviente. D ‘Engordany, Andorra, 1955, capturada nesse link

25 de mai de 2013

Theo Chen e sua coragem luminosa!

HOJE QUERO FALAR DE CORAGEM

Estou completamente apaixonada pela inteligência, articulação, sensibilidade e força de espírito de Theo Chen! Sempre me fascinam as pessoas que se expressam com a coragem visceral desse extraordinário menino.

Veja abaixo um libertário discurso sobre o respeito à diferença.

21 de mai de 2013

Mais um episódio do Faroeste Goiano: policial civil atira a queima roupa em um jovem estudante

Crença de que os conflitos se resolvem pela violência + arma de fogo = morte do jovem Luan Vitor.

A versão:

No primeiro depoimento o policial diz que Luan Vitor e um suposto comparsa, identificado como Eduardo Batista, teriam roubado a câmera de sua namorada.

A verdade:

Policial se envolve em briga e atira a queima roupa em jovem e depois sai correndo de arma em punho e volta a se atracar com um rapaz no meio da multidão.

20 de mai de 2013

CARTA ABERTA SOBRE OS DIREITOS DAS JUVENTUDES E CONTRA A VIOLÊNCIA POLICIAL

Divulgando carta aberta contra a violência policial

Nós, defensores dos direitos humanos, que no dia a dia pautamos em nossas lutas e militâncias a construção de uma cultura de paz e não violência, temos acompanhado a luta das juventudes na garantia de direitos e na construção de uma sociedade justa e somamos força nessa luta. Somos contra a redução da idade penal e a favor de políticas públicas que potencializem e possibilitem que os/as jovens tenham acesso de qualidade a educação, saúde, cultura, tempo livre... A juventude e a sociedade como um todo têm o direito a se manifestar, direito este garantido pela Constituição Federal e pela Declaração Universal dos Direitos Humanos.

É este cenário que nos motiva a escrever esta carta aberta, numa rede de parcerias na defesa dos direitos humanos e dos direitos das juventudes. E mais recentemente, o caso de violência policial ocorrida no dia 16 de maio, na capital goiana, no terminal da Praça “A”, durante manifestação de estudantes contrários ao possível aumento da tarifa do ônibus. As cenas assistidas na mídia e os relatos de testemunhas e vítimas da violência policial nos indignam e provocam a assumirmos uma postura de defesa dos direitos das juventudes. As barreiras, os “muros invisíveis” que excluem jovens moradores da periferia do acesso à cidade, aos espaços culturais e de lazer, são ainda mais agravadas pelas altas tarifas no transporte coletivo.

Com preocupação, temos acompanhado a violência institucional do Estado, que vem se repetindo de diferentes modos em Goiás, valendo ressaltar o caso do Parque Oeste Industrial, marco dessa violência. Recentemente, ocorreu o pedido de federalização de casos de violência policial no Estado pelo Procurador Geral da República. Em sua argumentação, Roberto Gurgel diz: “O somatório de formação técnica arcaica [dos policiais] (...) com a situação de falência estatal e recrudescimento da criminalidade resultaram no desaparecimento forçado de indivíduos, execução de pessoas em situação de rua e de figuras públicas questionadoras da atuação policial violenta, instituição de grupos de extermínio, intimidação de órgãos de imprensa e autoridades fiscalizadoras da atuação policial, bem como na aplicação de violência arbitrária e desmedida durante ações de abordagem”.

No caso da manifestação, os/as jovens não podem ser criminalizados por exercerem seu direito de manifestar, num Estado que é democrático. É responsabilidade das autoridades e do poder público garantir a segurança da sociedade e, em particular da juventude, em qualquer situação. O uso excessivo da força só resulta em mais violência e na demonstração da criminalização que sofrem os/as jovens.

Convocamos todas as pessoas que acreditam na democracia e na defesa da vida a abraçar a luta da juventude por políticas públicas de juventude e contra a redução da idade penal e a criminalização da juventude.

Goiânia, 17 de maio de 2013.

Casa da Juventude Pe. Burnier
Centro de Referência em Direitos Humanos Pe. João Bosco Burnier
Cerrado Assessoria Jurídica Popular
Comissão de Direitos Humanos – Assembleia Legislativa de Goiás
Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil
Diretório Central dos Estudantes – DCE/UFG
Fórum Estadual de Direitos Humanos
Movimento de Meninos e Meninas de Rua
Rede de Educação Cidadã
Rede Ecumênica da Juventude – Regional Centro Oeste

19 de mai de 2013

Mães e filhos… laços de cuidado na desigualdade

Mãos Dadas

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente.

Carlos Drummond de Andrade

 

Mães protagonizam bela imagens

Mulher e sua filha andam de mãos dadas em Porto Príncipe, Haiti

 

Mães protagonizam bela imagens 2

Mãe e filho descansam na vila de Tarart, Marrocos

 

Mães protagonizam bela imagens 4

Mulheres desabrigadas pela guerra alimentam seus filhos em hospital na vila de Dungu, no nordeste do Congo

 

Mães protagonizam bela imagens 15jpg

Mãe e filho fazem compra num supermercado na China

 

Mães protagonizam bela imagens 6

Prótese de mão, pulseira de chupetas.

 

Mães protagonizam bela imagens 8

Mãe dá banho nos filhos no Brasil

 

Mães protagonizam bela imagens 10

Mãe palestina lava louças em caverna com seus filhos no deserto Negev

 

Mães protagonizam bela imagens 14

Menina olha para sua sala de aula enquanto sua mãe a observa no primeiro dia de aula na Malásia

 

Mães protagonizam bela imagens 12

Mulher tibetana segura sua filha de três anos do lado de fora de sua tenda num campo para pessoas afetadas por terremoto na China em 2010

 

Mães protagonizam bela imagens 16jpg

Menina caminha com sua mãe no primeiro dia de aula na escolar elementar Shimizu, em Fukushima, Japão

 

Mães protagonizam bela imagens 17jpg

Menino ajuda mãe a lavar o cabelo num campo de refugiados de vítimas de enchentes no Paquistão

 

Mães protagonizam bela imagens 11

Mãe e filha andam juntos em sua vila no Senagal

 

Mães protagonizam bela imagens 19jpg

Mãe cuida de seu bebê num aeroporto na Flórida

 

Mães protagonizam bela imagens 13

Mulher carrega seu bebê recém-nascido na Índia

 

Fotos acessadas AQUI

16 de mai de 2013

Campanha do 18 de maio reunirá crianças e adultos no Parque Mutirama de Goiânia

Parque Mutirama

Atividades buscam conscientizar e informar sobre abuso e exploração infantil

 

Jornalista Jessica

 

 

 

 

 

Por Jéssica Alencar

 

O 18 de Maio, dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, será celebrado este ano no Parque Mutirama. O local, que é frequentado principalmente por crianças e famílias, e administrado pela Prefeitura de Goiânia, foi escolhido com o objetivo de informar e conscientizar seus visitantes, em especial sobre o abuso infantil.

Aproximadamente 110 servidores e estagiários de várias instituições da Rede de Atenção a Crianças, Adolescentes e Mulheres em Situação de Violência - que inclui a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) - estarão no local em stands que vão realizar rodas de conversa, distribuição de panfletos, jogos e outras atividades.

A psicóloga do Núcleo de Prevenção das Violências e Promoção da Saúde da SMS, Cida Alves, acredita que o dia 18 de Maio é uma data de reflexão em todo Brasil. "É um dia para discutir preconceitos e mitos relacionados ao abuso". Segundo especialistas, um dado é alarmante. Praticamente 80% dos abusadores são conhecidos ou familiares da criança e não escolhem a classe social.

Na abertura oficial da campanha na última segunda-feira (13) foram realizadas palestras, a apresentação do Plano Nacional de Enfrentamento a Exploração Sexual Infanto-juvenil e Rede de Atenção e entrega de materiais. Apesar de contar uma data específica no calendário, as atividades continuam durante todo o ano.

Local: Parque Mutirama
Horário: Das 9 às 16h
Responsáveis: Secretaria Estadual de Saúde (SES) e acadêmicos da UNIP e PUC Goiás.

Informações
Facebook:
www.facebook.com/18demaio
Blog Faça Bonito: http://facabonitocampanha.blogspot.com.br/
Telefone: 3524-3399

Realização
Rede de Atenção a Crianças, Adolescentes e Mulheres em Situação de Violência e Fórum Goiano pelo fim da Violência Sexual Infanto Juvenil

Integrante da Rede de Atenção de Goiânia:
Assessoria Especial de Direitos Humanos da Prefeitura de Goiânia
Assessoria Especial de Diversidade Sexual da Prefeitura de Goiânia
Conselhos Tutelares
Ong Atitude
Ong Astral
Ong Casa da Juventude
PUC Goiás
Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres e Promoção da Igualdade Racial (Semira)
Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas)
Secretaria Municipal de Defesa Social (Semdef)
Secretaria Municipal de Educação (SME)
Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SecMulher)
Secretaria Municipal de Políticas para Promoção da Igualdade Racial
Secretaria Municipal de Saúde (SMS)
Sesi – Projeto Vira Vida
Unip
Parceria
Parque Mutirama
Sintego

Fonte: Site da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia

15 de mai de 2013

Relançamento do livro “Aracelli, meu amor”, de José Louzeiro - Rio de Janeiro

Dia Nacional Combate ESCA_RJ

 

 

 

 

 

 

 

Prezados amigos e parceiros,


Compartilho com vocês informações sobre as atividades que serão realizadas na Biblioteca Parque de Manguinhos, Rio de Janeiro pelo dia nacional de cambate à violência sexual contra crianças e adolescentes.

 

Das 14 às 16 horas acontecerão exibição de filmes, leituras e varal anônimo.

Das 17 às 18 horas acontecerá o relançamento do livro “Aracelli, meu amor”, com a presença de seu autor José Louzeiro.

Local: Biblioteca Parque de Manguinhos - Rio de Janeiro

Atenciosamente,

Marcia Oliveira

Coordenação da Rede Não Bata Eduque

14 de mai de 2013

Projeto fotográfico a serviço da proteção da imagem da vítima de violência sexual

Foto 2

“Pare de fingir que você é um ser humano.”

 


“Difícil acreditar, mas ainda nos dias de hoje, há pessoas que acham que vítimas de abuso sexual tiveram algum tipo de culpa por terem sido molestadas. Pra quebrar esse paradigma que torna a vida das vítimas ainda mais difícil, a fotógrafa Grace Brown iniciou em 2011 o Projeto Unbreakable, no qual sobreviventes de abusos sexuais são fotografadas segurando uma frase do violentador.

Até hoje, ela já fotografou mais de 400 pessoas, e diz ter recebido milhares de emails de vítimas que decidiram se expor com coragem, como forma de enfrentar o passado de frente e alertar para esse problema lamentável que ainda é muito recorrente na nossa sociedade atual. O projeto é forte e impactante, mas tem um papel importante para aumentar o diálogo na sociedade sobre esse tema. Veja algumas fotos do projeto” (Jaque Barborsa).


Foto 1

“Seus pais foram jantar, mas não se preocupe – eu vou cuidar de você.”

 

Foto 3

“Isso fica entre nós” – meu avô, quando eu tinha 6 anos, depois 16, quando as memórias voltaram.

 

Foto 4

“O que temos é tão especial, que as outras pessoas não vão entender.”

 

Foto 5

“Você é uma menina má, não eu. Se lembre que você começou tudo isso.”

 

Foto 6

“Você gosta disso?”

 

Foto 7

“Não se preocupe, meninos geralmente gostam disso.”

 

Foto 8

“Você é bonita demais pra ser lésbica.”

 

Foto 9

“Me dê um beijo de boa noite.”

 

Foto 10

“Ande logo e arrume essa bagunça” – ele se referindo ao sangue e sêmen no chão.

 

Foto 12

“Ninguém vai acreditar em você. Sou seu marido – é a sua palavra contra a minha”.


Veja mais fotos do projeto aqui.

Se você também sofreu algum tipo de violência sexual e quer participar do projeto, basta entrar em contato pelo email:  projectunbreakablesubmissions @gmail.com.

Colaboração de Avimar Junior, psicólogo e mestre em educação pelo Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação – UFG.

Projeto Iluminar - Rede intersetorial de cuidados à vítima de violência sexual e o autor adolescente na cidade de Campinas

Divulgando o trabalho do Projeto Iluminar, em especial, a participação da Guarda Municipal de Campinas na atenção e no cuidado à vítima de violência sexual. 

 

13 de mai de 2013

Mau exemplo, péssima lição! Professor esmurra aluno em sala de aula.

 

Nas imagens capturadas por um estudante um professor do Rio de Janeiro aparece cercando o aluno, que tenta se proteger atrás de uma mesa. O menino, de 14 anos, corre, mas é encurralado e leva vários socos. O aluno teria sido chamado de gordo durante a aula. Como revide, fez um desenho ridicularizando o professor, que então partiu para a agressão.

11 de mai de 2013

Para as amorosas que cuidam! ¡Para las amorosas que cuidan!

59207514
“Ser profundamente amado por alguém nos dá força; amar alguém profundamente nos dá coragem” (Lao-Tse).
 
"Ser profundamente amado por alguien nos da fuerza, amar profundamente a alguien nos da coraje" (Lao-Tse).
 

 
Nesse domingo dedicado às mães, quero deixar um pouco da força da alegria, da música e da dança às mães que passarão esse dia - e talvez outros mais, acompanhando seu filhos ou filhas em um hospital.
En esto domingo dedicado a las madres, quiero dejar algo de la fuerza de la alegría, de la música y de la danza a las madres que pasaran este día - y tal vez muchos más, en compañia de sus hijos o hijas en un hospital.




SeguiremosMacaco
Los sueños cambiaron el destino de los hombres y de las naciones (voz en off)
Di si (oh oh) seguiremos (oh oh)
Si dicen perdido yo digo buscando,
Si dicen no llegas de puntillas alcanzamos,
Y sí (oh oh) seguiremoos (oh oh).
Si dicen caíste yo digo me levanto
Si dicen dormido es mejor soñando
Entre unos y otros ahí estás tú
Somos los mismos somos distintos
Pero nos llaman multitud.
Perdonen que no me levante
Cuando digan de frente y al paso
No somos tropas no somos soldados
Mejor gotas sobre olas flotando.
Y si (oh oh) seguiremos (oh oh)
Si dicen perdido yo digo buscando,
Si dicen no llegas de puntillas alcanzamos,
Y sí (oh oh) seguiremoos (oh oh).
Si dicen caíste yo digo me levanto
Si dicen dormido es mejor soñando
Perdonen que no me aclere
En medio de este mar enturbiado
Nos hicieron agua trasparente
No me ensucien mas,
Yo ya me he manchado.
y es que hay una gran diferencia
entre pensar y soñar
yo soy de lo segundo
En cada segundo vuelvo a empezar.
Y sí (oh oh) seguiremos (oh oh)
Si dicen perdido yo digo buscando,
Si dicen no llegas de puntillas alcanzamos,
Y sí (oh oh) seguiremoos (oh oh).
Si dicen caíste yo digo me levanto
Si dicen dormido es mejor soñando
Hoy sabemos que lo importante es soñar, liberar nuestro inconsciente, el filtro de censura del pensamiento, creemos que al soñar perdemos un tercio de nuestra vida, y nos equivocamos. (voz en off)
Y si (oh oh) seguiremos (oh oh)
Si dicen perdido yo digo buscando,
Si dicen no llegas de puntillas alcanzamos,
Y sí (oh oh) seguiremoos (oh oh).
Si dicen caíste yo digo me levanto
Si dicen dormido es mejor soñando
Si dicen caíste yo digo me levanto
Si dicen dormido es mejor soñando
Hoy sabemos que lo importante es soñar (voz en off)

 
 



Abaixo o vídeo do projeto Hospital Play desenvolvido na cidade de Guimarães por iniciativa da Capital Europeia da Cultura
Foto capturada na internet










10 de mai de 2013

Mega eventos podem colocar crianças e adolescentes em situação de risco

petição megaeventos

Estimado(a) Leitor(a),

Peço apoia à Pública promovida pelas Redes Nacionais de Defesa dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes e pela Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa - ANCOP

“Os Megaeventos, como a Copa do Mundo e a Copa das Confederações, fomentam o chamado turismo adicional e acentuam situações de vulnerabilidade de crianças e adolescentes, principalmente no que se refere ao trabalho infantil, à exploração sexual e tráfico de crianças e adolescentes e ao uso e tráfico de drogas. Além disso, na preparação das cidades para sediar os Megaeventos é comum a utilização de práticas repressivas contra as crianças e adolescentes em situação de rua.

Considerando que é essencial a implementação antecipada de políticas publicas integradas para o fortalecimento do Sistema de Garantia de Direitos, essa Petição exige que o Poder Público inclua nas políticas públicas estratégias de proteção e garantia dos direitos da criança e do adolescente, bem como previsão orçamentária para sua implementação, antes, durante e após os Megaeventos, a fim de prevenir e minimizar as possíveis violações de direitos de crianças e adolescentes.

Assine a petição AQUI

9 de mai de 2013

Entidades unem esforços para combate ao abuso e à exploração sexual infanto-juvenil

Faça bonito arte 2013

Abertura oficial da Campanha 18 de Maio – Dia de Enfrentamento à exploração Sexual Infanto-juvenil – será na próxima segunda (13)

 

Mayara SMS

 

 

 

 

Por Mayara Kelly

 

Na próxima segunda-feira (13) acontece o Seminário de abertura da Campanha do 18 de Maio. O seminário vai tratar do Cenário da Exploração Sexual Infanto-juvenil na Região Metropolitana de Goiânia e terá a presença dos secretários dos órgãos municipais e estaduais envolvidos na Campanha.

O dia 18 de maio é instituído por lei federal como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Este ano a data será celebrada no Parque Mutirama, no sábado (18), com rodas de conversa, stands e panfletagem, buscando atingir pais e crianças.

O grupo de articulação em Goiânia decidiu priorizar o tema da exploração sexual no evento de abertura por entender que a população ainda não compreende muito bem o assunto e carrega preconceitos, o que dificulta o combate a essa violência. De acordo com Cida Alves, psicóloga do Núcleo de Prevenção das Violências e Promoção da Saúde da SMS, a exploração é um tema complexo por envolver outros crimes e por ter fins econômicos.

"Além disso, por confundirem exploração sexual com prostituição, as crianças e adolescentes que são vítimas dessa forma de violência tendem a serem desprotegidas e discriminadas pela sociedade", completa Cida.


De acordo com o último levantamento da Polícia Rodoviária Federal, Goiás é o 3º estado com maior número de pontos de vulnerabilidade para exploração sexual infanto-juvenil.


A proposta da Campanha 18 de Maio é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Com este objetivo, uma ampla mobilização foi articulada pela Rede de Atenção e Fórum Goiano, juntamente com diversos órgãos da Prefeitura de Goiânia e Governo do Estado de Goiás e instituições parceiras. Foram preparadas mostras pedagógicas em unidades regionais escolares (URE), panfletagem, seminários, palestras, rodas de conversa e outras atividades de mobilização e conscientização.

Essas atividades tiveram início ainda no mês de abril e seguem mesmo após o dia 18 de Maio. O seminário de abertura será realizado no Auditório do Palácio da Indústria, Avenida Araguaia, n°1544, Setor Vila Nova, das 14 às 17 horas. As inscrições serão feitas no local a partir das 13h.

Violência Sexual Infanto-juvenil
Para a delegada Renata Vieira, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), a Campanha é de grande importância, dada a dificuldade de lidar com o tema. "A soma de esforços é necessária, é preciso envolver as instituições públicas em ações integradas como esta, mas não só isso, a participação da sociedade é fundamental para a proteção da criança", afirma a delegada que enfatiza ainda que as pessoas devem estar atentas a comportamentos diferenciados da criança para poder ajudá-la.

A DPCA vai lançar, também no dia 18 de maio, o Projeto Infância Livre, o qual tem por finalidade percorrer as escolas para ensinar as crianças o significado do abuso e da exploração sexual. "Muitas crianças não sabem que são abusadas por não compreender que é um tipo de violência, que fere sua liberdade e, além disso, na maioria das vezes, as vítimas são ameaçadas e manipuladas para manter os atos em segredo", explica Renata.

Segundo dados da DPCA, em 2012 a delegacia recebeu 267 denúncias anônimas de abuso sexual e foi registrado o mesmo número de boletins de ocorrência. As denúncias de exploração sexual ocorrem em menor número – 43 em 2013 – devido a outros crimes que geralmente são cometidos além da exploração em si e também por envolver e beneficiar mais de uma pessoa.

História
Em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o "Caso Araceli". Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados; foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

Atividades:

SEMINÁRIO DE ABERTURA DAS ATIVIDADES DO 18 DE MAIO: “Cenário da
Exploração Sexual Infanto-juvenil na Região Metropolitana de Goiânia”
Data: 13/05/13
Horário: 13 às 17 horas
13h: Inscrições
Local: Auditório do Palácio da Indústria (SESI/ FIEG), Avenida Araguaia, n°1544, Setor Vila Nova

Programação
14h - Abertura das atividades e composição da mesa.

14h30 - Apresentação do Plano Nacional de Enfrentamento a Exploração Sexual Infanto-juvenil e Rede de Atenção. Psicólogo: Joseleno Vieira – Secretaria de Direitos Humanos.

15h - Exploração Sexual comercial infanto-juvenil: Desafios e Perspectivas. Sociólogo: Rogério Araújo da Silva

15h30 - Exploração sexual comercial de adolescentes travestis e transexuais: A fragilidade de proteção. Psicóloga: Roberta Fernandes de Souza – Beth Fernandes Astral -GO

16h - Apresentação de Trabalhos: Busca Ativa como Forma de Intervenção com a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes em Goiânia. Assistente Social: Antonina Maria do Prado

PANFLETAGEM NA PRAÇA DOS BANDEIRANTES

Dia 16/05
Horário: 07h30
Responsável: Secretaria Municipal de Assistência Social (SEMAS)

MOBILIZAÇÃO PARQUE MUTIRAMA: roda de conversas, stands e panfletagem.
Dia 18 de Maio 
Local: Horário, das 9:00 as 16:00 horas
Responsáveis: Secretaria Estadual de Saúde e acadêmicos da UNIP e da Universidade Salgado de Oliveira.

Realização
Fórum Goiano de Enfrentamento da Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes
Rede de Atenção a Crianças, Adolescentes e Mulheres em Situação de Violência
Secretaria Municipal de Saúde (SMS)
Secretaria Municipal Educação (SME)
Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SecMulher)
Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas)
Secretaria Municipal de Políticas para Promoção da Igualdade Racial
Secretaria Municipal de Defesa Social (Semdef)
Assessoria Especial de Direitos Humanos da Prefeitura de Goiânia
Assessoria Especial de Diversidade Sexual da Prefeitura de Goiânia
Secretaria de Estado da Saúde (SES)
Secretaria de Estado de Políticas para Mulheres e Promoção da Igualdade Racial (Semira)
Casa da Juventude
Parque Mutirama
Unip
PUC Goiás
Sesi – Projeto Vira Vida
Conselho Tutelar
Astral
Ong Atitude

Informações
Facebook: www.facebook.com/18demaio
Blog Faça Bonito: http://facabonitocampanha.blogspot.com.br/
Telefone: 3524-3399

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde

7 de mai de 2013

Que tristeza, morre a valente menina de Goiás!

Crença de que os conflitos se resolvem pela violência + arma de fogo = morte da VALENTE MENINA DE GOIÁS.

Valente meina

Essa cena é um retrato verdadeiramente cruel do modelo de sociabilidade que ainda impera em nosso mundo. O culto da honra acima de tudo, de que desaforo não se leva pra casa, olho por olho, dente por dente..... E nessa ordem quem mais sofre são os mais frágeis e sensíveis. De coração, do fundo de minha alma, eu desejei que a linda e valente menina sobrevivesse. Mas... hoje só lágrimas e lamentos por mais uma morte de uma criança causada pela violência de um adulto.

4 de mai de 2013

“Só dez por cento é mentira”– filme sobre Manoel de Barros

Estimado(a) leitor(a), ofereço-lhe nesse domingo o filme Só dez por cento é mentira” de Pedro Cezar, que faz um “original mergulho cinematográfico na biografia inventada e nos versos fantásticos do poeta sulmatogrossense Manoel de Barros”.

 

Homem borboleta

 

“A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como sou - eu não aceito.
Não agüento ser apenas um sujeito que abre portas,
que puxa válvulas, que olha o relógio,
que compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora, que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai

Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem usando borboletas”.

Manoel de Barros

 

Menino e casinhas de passarinhos

“Na minha poesia eu só tive infância, eu só sei escrever sobre a infância (...)” Manoel de Barros.

 

 

No descomeço era o verbo.
Só depois é que veio o delírio do verbo.
O delírio do verbo estava no começo, lá onde a
criança diz: Eu escuto a cor dos passarinhos.
A criança não sabe que o verbo escutar não funciona
para cor, mas para som.
Então se a criança muda a função de um verbo, ele
delira.
E pois.
Em poesia que é voz de poeta, que é a voz de fazer
nascimentos —
O verbo tem que pegar delírio.

Manoel de Barros

 

Difícil fotografar o silêncio.
Entretanto tentei. Eu conto:
Madrugada, a minha aldeia estava morta. Não se via ou ouvia um barulho, ninguém passava entre as casas. Eu estava saindo de uma festa,.
Eram quase quatro da manhã. Ia o silêncio pela rua carregando um bêbado. Preparei minha máquina.
O silêncio era um carregador?
Estava carregando o bêbado.
Fotografei esse carregador.
Tive outras visões naquela madrugada. Preparei minha máquina de novo. Tinha um perfume de jasmim no beiral do sobrado. Fotografei o perfume. Vi uma lesma pregada na existência mais do que na pedra.
Fotografei a existência dela.

Vi ainda um azul-perdão no olho de um mendigo. Fotografei o perdão. Olhei uma paisagem velha a desabar sobre uma casa. Fotografei o sobre.
Foi difícil fotografar o sobre. Por fim eu enxerguei a nuvem de calça.
Representou pra mim que ela andava na aldeia de braços com maiakoviski – seu criador. Fotografei a nuvem de calça e o poeta. Ninguém outro poeta no mundo faria uma roupa
Mais justa para cobrir sua noiva.
A foto saiu legal.

Manoel de Barros

 

 

Senhor, ajudai-nos a construir a nossa casa
com janelas de aurora e árvores no quintal.
Árvores que na primavera fiquem cobertas de flores
e ao crepúsculo fiquem cinzentas como a roupa dos pescadores.

Manoel de Barros



Sobre o Filme de Pedro Cezar.

“’Só Dez Por Cento é Mentira" é um original mergulho cinematográfico na biografia inventada e nos versos fantásticos do poeta sulmatogrossense Manoel de Barros.
Alternando sequências de entrevistas inéditas do escritor, versos de sua obra e depoimentos de "leitores contagiados" por sua literatura o filme constrói um painel revelador da linguagem do poeta, considerado o mais inovador em língua portuguesa.
"Só Dez Por Cento é Mentira" ultrapassa as fronteiras convencionais do registro documental. Utiliza uma linguagem visual inventiva, emprega dramaturgia, cria recursos ficcionais e propõe representações gráficas alusivas ao universo extraordinário do poeta (...). "Só Dez Por Cento é Mentira" ganhou os prêmios de melhor documentário longa-metragem do II Festival Paulínia de Cinema 2009 e os prêmios de melhor direção de longa-metragem documentário e melhor filme documentário longa¬metragem do V Fest Cine Goiânia 2009 (...)”.

Fonte:
http://cineplaneta.blogspot.com.br/20...

Foto 1 capturada no link: http://pt.gdefon.com/download/homem_floresta_Borboletas_natureza_madeira-goblin/404486/1920x1280

Foto 2 de Maria McGinley

3 de mai de 2013

Dados falsos são disseminados sobre a tendência da maioridade penal no mundo

Maioridade penal

“Não acreditem nessa conversa de que a maioridade penal é 15 anos na Noruega, 7 na Inglaterra etc. É mentira. Isso é a responsabilidade penal, a idade a partir do qual a pessoa passa a ser responsável por seus atos (no Brasil, essa idade é de 12 anos). Na tabela acima estão dados da maioridade penal em vários países. 18 é a tendência mundial. Fonte: Cross-national comparison of youth justice (página 35). Para quem quiser, os dados da responsabilidade penal, no mesmo estudo, estão na página 30”.

Veja também a Tabela Comparativa de diferentes Países: Idade de Responsabilidade Penal Juvenil e de Adultos da CAOPCA – Àrea da Criança e do Adolescente AQUI.

ATENÇÃO: os textos acima são uma reprodução de um post do Perfil do Facebook de Wanderlino Nogueira, membro do Comite das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança – Genebra.

2 de mai de 2013

Ex-apresentador da rede BBC admite ter abusado de meninas entre 9 e 17 anos

 

stuart-hall-AFP

Muito triste essa notícia, mas ela ajuda a desconstruir o mito de que os abusadores sexuais são sempre uns desajustados, bêbados, drogados…. Muitos se escondem atrás da máscara da “respeitabilidade” de bom pai de família ou de competente e honesto profissional.


Stuart Hall, ex-apresentador da rede britânica de notícias BBC, admitiu ter abusado sexualmente de 13 meninas, entre 17 e 9 anos de idade. O britânico de 83 anos fez a confissão durante audiência no dia 16 de abril, segundo o jornal Telegraph, mas a imprensa local só teve acesso à notícia nesta quinta-feira. Ainda de acordo com a publicação, ele se declarou culpado de 14 acusações de conduta indecente contra as meninas.

O crimes aconteceram entre 1967 e 1986. Hall chegou a negar as acusações, dizendo que eram “perniciosas, insensíveis e cruéis”. O britânico também foi acusado de estupro, mas se declarou inocente. O promotor do caso, Peter Wright, decidiu arquivar essa acusação.

O advogado de defesa, Crispin Aylett, pediu perdão pela conduta do réu.

- Ele sente muito pelo que fez, é claro. Através de mim, ele deseja pedir desculpas à vítimas. Ele não é um homem movido pela auto-piedade, mas está muito consciente de sua desgraça - declarou o advogado.

Stuart Hall apresentou o programa de televisão "It's a Knockout", entre as décadas de 70 e 80. Nesse período, ele abusou de uma menina de 9 anos, colocando a mão sob a roupa dela. Ele também beijou uma adolescente de 13, dizendo que "as pessoas precisam mostrar gratidão de outras maneiras".

O apresentador foi descrito pelo promotor Nazir Afza como um "predador oportunista".

- As vítimas não se conheciam e havia quase duas décadas entre o primeiro e o último abuso. Mas quase todas as vítimas, incluindo uma de 9 anos na época, forneceram depoimentos bem parecidos - disse ele aos repórteres. - Seja de maneira pública ou privada, Hall se aproximava delas de maneira amigável, e esperava o momento certo até que a vítima estivesse sozinha. Ele só pode ser descrito como um predador oportunista.

O britânico foi posto em liberdade, depois de pagar fiança. A sentença será anunciada no dia 17 de junho.

Stuart Hall foi um dos grandes apresentadores da BBC, por mais de meio século. Ele está casado há 54 anos e tem dois filhos. No ano passado, o britânico foi condecorado pela rainha Elizabeth com um OBE, uma das ordens da cavalaria britânica, criada em 1917.

Fonte: G1 em 02 de maio de 2013.

1 de mai de 2013

Lançamento do livro “Vento no Rosto”- autoria de crianças da Comunidade da Maré (RJ)

Convite

 

 

Caros amigos e parceiros,

Temos o prazer de divulgar o lançamento do livro infantil “Vento no Rosto” no dia 3 de maio, às 17 horas, na FIRJAN (Av. Graça Aranha nº 1, Centro – Rio de Janeiro).
A história de Lucas, personagem central do livro, foi criada por 12 meninos e meninas, entre 6 e 13 anos, da comunidade da Maré, participantes do projeto Esporte, Cultura e Cidadania da Fiocruz. O projeto desenvolvido pelo Promundo, com financiamento da Save the Children, teve o objetivo de dar voz aos pequenos sobre como pensam que poderiam ser educados sem o uso da violência.
Durante o lançamento acontecerá um debate sobre o Projeto de lei 7672/2010 que promove a prevenção de castigos físicos e humilhantes contra crianças e adolescentes, com a participação de Carlos Zuma, do Instituto Noos, e de Ana Paula Rodrigues, da Fundação Xuxa Meneghel.

A obra é parte dos esforços do Promundo e dos demais membros da Rede Não Bata Eduque para estimular o debate sobre alternativas à educação sem o uso de castigos físicos e humilhantes.


Contamos com a presença de todos.
Abraços,
Marcia Oliveira