4 de jul. de 2020

"....a beleza me derrota" (Tom Zé)




“- Ahhhh pera aí, só gente idiota tem coragem de dizer que não tem rancor, inveja. Quem que é ser humano e não tem isso, aqui ôhhhh top top top. Todo ser humano tem , mas eu, tem duas coisas com o meu rancor não dura muito. Por que se eu fosse ter rancor eu não falava com minha família até hoje, por que eu fui criado como um condenado.
- Como assim?
- Eu fui criado como um cara que ia ser delinquente, que olhavam na minha cara e dizia, você é um degenerado. Com aqueles olhos de ódio mesmo que eu não esqueço nunca, já tô de paz com todo mundo. Não quero nem saber disso. Então se eu tivesse rancor, tava morto com meu rancor. Por que rancor mata. Batata quente mata, como dizia aquela psicanálise de 1970, Eric Berne, a transacional. Então, primeiro, não é que eu seja melhor que os outros não, eu esqueço da raiva. E segundo, eu tenho inveja, mas a beleza me derrota. Os caras que eu tenho inveja quando fazem uma coisa, por que tem inveja que fica com quase ódio. Aí fazem uma coisa linda, aí eu digo ahhhh não é possível. Que beleza!!!!
- Dá um exemplo pra nós aí.
- Tem muitos rapaz.
Dá um só!
- Tem muitos, mas aí eu tenho medo por que acaba ofendendo. Tem épocas por exemplo, Caetano e Gil ficaram brilhando a vida toda, eu fui pro inferno né. Ai você tem que ter ódio deles uma hora senão você não é humano. Aí você tem, filhos da puta, sacanas [...]. Aí quando eu vou ver uma música nova deles, hannnn olha o que o cara é capaz de fazer, meus deus. Aí escrevo uma carta de apaixonada. Pronto acabou.”

Diálogo ente Tom Zé e Drauzio Varella

28 de jun. de 2020

23 de jun. de 2020

I Seminário sobre Alienação Parental do Conselho Regional de Psicologia da 9ª Região




O Conselho Regional de Psicologia de Goiás, por meio da Comissão Especial de Psicologia Jurídica, realiza de 26 a 27 de junho de 2020, o I Seminário sobre Alienação Parental do Conselho Regional de Psicologia da Nona Região. Serão dois dias de discussões que reunirão profissionais que são referência a respeito da temática.

O objetivo do evento é debater o tema com a categoria profissional e oferecer uma resposta à demanda do Conselho Federal de Psicologia (CFP) que, em novembro de 2019, convidou representantes dos Regionais de todo o país para o evento “Debatendo sobre Alienação Parental”.

Confira abaixo a programação completa do evento de Goiás. O seminário será transmitido pela plataforma Zoom e os interessados devem se inscrever com antecedência no Sympla, pelos três links informados abaixo, seguindo a programação definida.




Dia 26/06, sexta-feira, das 19:00 às 21:00

Mesa redonda: Famílias em litigio, separação e divórcio: contribuições da Terapia de Famílias e Casais

Faça sua inscrição clicando aqui https://bityli.com/UGANm
Analice de Sousa Arruda Vinhal de Carvalho, CRP 09/1488
Angela Dolores Baiocchi de Vasconcelos, CRP 09/507
Melissa Pereira David Sousa, CRP 09/4151
Vera Lucia Morselli, CRP 09/191
Sérgio Bitencourt Maciel, CRP 01/5783.


Dia 27/06, sábado, das 10:00 às 12:00

Mesa redonda: Eixos reflexivos do Conselho Federal de Psicologia para a discussão sobre Alienação Parental

Faça sua inscrição clicando aqui https://bityli.com/TWrJy
Beatrice Marinho Paulo, CRP 05/33.153
Vannúzia Leal Andrade Peres, CRP 09/025
Andreia Soares Calçada, CRP 05/18785
Marília Lobão Ribeiro, CRP 01/2806
Josimar Antônio de Alcântara Mendes, CRP 01/16637


Dia 27/06, sábado, das 14:00 às 16:00

Mesa redonda: Eixos reflexivos do Conselho Federal de Psicologia para a discussão sobre Alienação Parental

Faça sua inscrição clicando aqui https://bityli.com/TcHyo

Eduardo Ponte Brandão, CRP 05/19970
Maria Aparecida Alves da Silva, CRP 09/1288
Tamara Brockhausen, CRP 06/73996
Camilla Felix Barbosa de Oliveira, CRP 20/05811
Analicia Martins, CRP 05/ 31168
 

13 de jun. de 2020

Rede Goiana de Mulheres Negras adere ao projeto de enfrentamento à pandemia da Covid 19



Participação do controle social e capacitação de lideranças sociais e comunitárias contribuem para o enfrentamento consciente e seguro do coronavírus.

Thainara Pedatella

A Secretaria Municipal de Saúde está desenvolvendo projetos de capacitação de profissionais de saúde e lideranças comunitárias voltados para biossegurança e apoio à saúde mental da sociedade durante a pandemia da covid-19 na capital goiana.

Por meio da proposta de Atenção Psicossocial e Saúde Mental, já foi realizada a capacitação de mais de 300 trabalhadoras e trabalhadores de saúde sobre adoção de medidas de segurança recomendadas pela Secretaria de Saúde e pelo Ministério da Saúde. Entre os conteúdos estão a importância de manter-se informado, mas evitando sobrecarregar-se com notícias e conteúdos de WhatsApp que podem aumentar o estresse; cuidados com a própria saúde física e mental; atenção em casos de sobrecarga, impaciência ou agressividade; estímulo a momentos de diálogo nas equipes de saúde; busca de conversas com colegas e gestores sobre equilíbrio nas atividades e compartilhamento de preocupações com pessoas de confiança.

Alinhada a essa proposta, uma nova frente de trabalho busca agora capacitar segmentos da sociedade civil, como líderes religiosos, de comunidades, movimentos sociais e a sociedade civil em geral, para o enfrentamento sadio e seguro da pandemia, com apoio e orientações das autoridades sanitárias. Essa frente é liderada pela psicóloga Cida Alves, que reforça a importância do isolamento social e da disseminação de informações coerentes e seguras sobre o coronavírus.

“Nosso objetivo é combater as fake news, reforçar os cuidados com a saúde mental e física de todos os segmentos da sociedade para que possamos enfrentar esta pandemia com biossegurança e uma comunicação clara e com base em conhecimentos científicos. A população deve ser munida de informações para ter noção do tamanho do problema e de como se cuidar e se proteger corretamente, contribuindo para a prevenção e controle da pandemia”, destaca a psicóloga.

No dia 9 de junho, foi realizada a primeira capacitação da sociedade civil com a participação de representantes do Movimento Negro em Goiânia, com o tema “Vidas Negras Importam – as taxas de mortalidade pela Covid-19 evidenciam as desigualdades raciais no Brasil”. Janira Sodré, presidente da Câmara Técnica de Enfrentamento ao Racismo, do Conselho Estadual da Mulher, participou da reunião e ressaltou a necessidade de capacitação de jovens e mulheres negras na prevenção contra a covid-19. "A capacitação nos instruiu de forma muito qualificada e em uma linguagem bastante acessível para os cuidados durante nosso cotidiano em relação aos espaços dentro de casa, objetos e até mesmo as compras de supermercado". Janira destaca que a capacitação também "gerou o desejo de que essas ações sejam ampliadas para outras lideranças nas periferias, em especial para as categorias profissionais que fazem parte dos serviços essenciais e que usam o transporte público diariamente”.

“A população vem sendo bombardeada de informações sobre o coronavírus que nem sempre são verdadeiras e confiáveis. A pandemia altera as emoções de pessoas e comunidades. É importante que se tenha um canal de informações confiáveis e um apoio emocional para que não se sintam sozinhas”, diz Janira Sodré, que também integra a Rede Goiana de Mulheres Negras.

Armando Araújo - GO 554 JP
Assessoria de Comunicação e Jornalismo
(62) - 3229-3195- (62) – 996293800
armandoconsultoria@terra.com.br / anma1609@gmail.com

11 de jun. de 2020

Vocal Sampling - Canción del Elegido (Video Oficial)


“Y lo hermoso nos cuesta la vida
La última vez lo vi irse
Entre humo y metralla
Contento y desnudo
Iba matando canallas
Con su cañón de futuro
Iba matando canallas
Con su cañón de futuro”
                                    
Silvio Rodriguez


8 de jun. de 2020

Quanto vale a sua vida? Quanto vale a vida de alguém que você ama? - Dalva Bittencourt, presidente do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia.



Segundo pesquisadores da UFG, na vigência do isolamento social quase 3 mil e 500 vidas foram salvas.

Desde o início da pandemia da covid-19, um falso dilema entre proteção à vida e economia foi imposto à sociedade. Cabe perguntar: quem move a economia? A economia não para em caso de adoecimento de milhares de trabalhadores e trabalhadoras?

Diante dessa premissa, a Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia e o Comitê Goiano em Defesa dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Saúde e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 manifesta seu apoio a qualquer pessoa que exerça cargo de gestão pública que assumir a defesa da vida como valor absoluto e adotar o princípio do diálogo com toda a sociedade, trabalhadores e trabalhadoras da saúde, usuários e usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), e não apenas do setor empresarial.

Bons exemplos de países que souberam lidar com a pandemia não nos faltam. Não escutar a ciência e não reconhecer o isolamento social como uma medida eficaz de controle do contágio por diversos países que têm tido sucesso em conter a covid-19 provoca mortes evitáveis, promove o colapso do sistema de saúde e enfraquece ainda mais a economia.

A pesquisa desenvolvida pelos professores doutores Thiago Rangel, José Alexandre Felizola Diniz Filho e Cristiana Toscano, da Universidade Federal de Goiás (UFG), apontou a expansão espaço-temporal da covid-19 em Goiás. Caso o isolamento social, que hoje se restringe a 36%, não aumentar, podem ocorrer até 162 mortes por dia no estado, e chegaremos a 6 mil no final de julho. É importante destacar que a UFG tem acertado as projeções feitas até o momento, inclusive o dia que atingiríamos 100 mortes pela enfermidade em Goiás.

O estado caminha para o pior cenário, em que poderemos ter 1.200 pacientes graves disputando leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Se não aumentarmos nossa taxa de isolamento social de 36% para 50%, em quatro semanas teremos o colapso do nosso sistema de saúde, quando serão necessários até 3.778 leitos de hospital por dia e, no fim de julho, a demanda subirá para 5.114 leitos. Esse número representa 18 vezes mais leitos disponíveis hoje.

Além das vidas e da saúde, a verdade e a comunicação, muitas vezes, podem ser afetadas em situações de emergência. Temos visto diversos canais de comunicação, como as redes sociais, usados para a disseminação de rumores, mensagens de ódio e distorção de informações científicas, criando confusão e insegurança.

Precisamos melhorar o acesso à informação da população e de trabalhadores e trabalhadoras da saúde. Manifestamos também nossa preocupação com a ausência de uma ampla campanha de comunicação, transparente e responsável, que ajude a sociedade goiana a se proteger da melhor forma possível. Necessitamos urgentemente de realizar análises periódicas da situação, elaborando um sistema para disseminar informações úteis que conscientizem a população, as pessoas ligadas à gestão e a imprensa. Somente por meio de práticas mais eficazes de proteção à vida teremos segurança, dignidade e esperança.






Dalva Bittencourt, presidente do Conselho Municipal de Saúde de Goiânia.

_________

Fotos: acervo da Dalva Bittencourt e de Edivaldo Bernardo de Lima (Manifestação em defesa da vida organizada pela Mesa Diretora do Conselho Municipal de Saúde e o Comitê Goiano em Defesa dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Saúde e Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 realizaram um ato público nesta segunda-feira, 1º de junho de 2020). 

7 de jun. de 2020

Pessoa Nefasta - Gilberto Gil


Gilberto Gil cancela show em Israel por motivos políticos | Jovem Pan

Tu, pessoa nefasta

Vê se afasta teu mal
Teu astral que se arrasta tão baixo no chão
Tu, pessoa nefasta
Tens a aura da besta
Essa alma bissexta, essa cara de cão

Reza

Chama pelo teu guia
Ganha fé, sai a pé, vai até a Bahia
Cai aos pés do Senhor do Bonfim
Dobra
Teus joelhos cem vezes
Faz as pazes com os deuses
Carrega contigo uma figa de puro marfim
Pede
Que te façam propícia
Que retirem a cobiça, a preguiça, a malícia
A polícia de cima de ti
Basta
Ver-te em teu mundo interno
Pra sacar teu inferno
Teu inferno é aqui
Pessoa nefasta, pessoa nefasta

Tu, pessoa nefasta

Gasta um dia da vida
Tratando a ferida do teu coração
Tu, pessoa nefasta
Faz o espírito obeso
Correr, perder peso, curar, ficar são

Solta

Com a alma no espaço
Vagarás, vagarás, te tornarás bagaço
Pedaço de tábua…


31 de mai. de 2020

ZSK - Make Racists Afraid Again


 “Diferenciar a violência dos conceitos de agressividade e de poder é fundamental. Admite-se que a agressividade é necessária, pois, em algumas situações, ela é a única resposta possível. É incontestável o direito de um sujeito de empregar sua agressividade em legítima defesa, bem como o direito de grupos, classes ou Estado de lançarem mão de seu potencial defensivo quando este se revela o único instrumento possível, para enfrentar o terror ou a violência da dominação opressora.

No entanto, não se conjuga a agressividade, que é sempre defensiva e a serviço da sobrevivência, à ideia de violência. A agressividade que busca manter a integridade de um sujeito (PHILIPPI; FELIPE, 1998), ainda que se expresse com a intensidade e a exuberância da cólera, não é violência. O ponto crucial que demarca a diferença entre agressividade e violência é sua finalidade. O objetivo da violência não é preservar a vida, mas destruir a identidade ou a integridade de um sujeito ou de um grupo, ou seja, ela visa converter a diferença em desigualdade, transformando esta última em uma relação entre inferior e superior. A violência é concebida como a ‘ação que trata um ser humano não como sujeito, mas como uma coisa’ (CHAUÍ, 1995, p. 15).
Cida Alves*



ZSK - Make Racists Afraid Again (Official Video) from MZ | Photography & Filmmaking on Vimeo.

Foto: site Kristin Swenson  


*Fragmento da tese “Alforria pelo sensível: corporeidade da criança e formação docente” de autoria de Maria Aparecida Alves da Silva  - acesse o conteúdo completo da discussão sobre a diferenciação dos conceitos de violência, força e agressividade no  primeiro capítulo – “O exílio de quem ousa denunciar as violências: o mito do homem naturalmente violento” AQUI

23 de mai. de 2020

Tito e os Pássaros - Gabriel Bitar, Gustavo Steinberg, André Catoto Dias



“Oh senhor cidadão
Eu quero saber, eu quero saber
Com quantos quilos de medo
Com quantos quilos de medo
Se faz uma tradição?
Oh senhor cidadão,
Eu quero saber, eu quero saber
Se a tesoura do cabelo
Se a tesoura do cabelo
Também corta a crueldade”


Tom Zé