20 de mar de 2019

CARTA DE GOIÂNIA – SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) PÚBLICO E DE QUALIDADE - 10ª Conferência Municipal de Saúde 2019

CARTA DE GOIÂNIA – SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) PÚBLICO E DE QUALIDADE

A saúde é um direito assegurado pela Constituição Federal de 1988 e regulamentado pelas Lei Orgânica da Saúde (Lei 8.080 e Lei 8.142/1990) e é um patrimônio da população brasileira.

Nos últimos anos, o sistema público de saúde, assim como toda a seguridade social, tem sofrido ataques e desmontes por decisões políticas e de governo, que priorizam o privado em detrimento do público atendendo às demandas dos setores e empresas privadas e não as necessidades da população. Por isso reiteramos que saúde não é mercadoria. Em acordo com a Carta “Sistema Único de Saúde – Patrimônio do Brasil” publicizada pelo sindicato dos enfermeiros do Estado do Rio Grande do Sul denunciamos “… a incerteza da continuidade do SUS face ao projeto defendido pelas empresas por meio da Federação Brasileira de Planos de Saúde (FEBRAPLAN). Este projeto de novo sistema foi apresentado no 1º Fórum Brasil – Agenda Saúde, e, segundo ele, em 2038 apenas 50% da população terá acesso ao SUS, o sistema seria privatizado, obrigando a população, já tão depauperada pelos retrocessos de direitos e outras mazelas a contratar um plano privado ou pagar exames e consultas particulares caso precise de atendimento de saúde.”. Esta situação é agravada diante dos ataques constitucionais como a Emenda Constitucional No 95/2016, que reduz e congela por 20 anos os gastos em áreas sociais, a reforma trabalhista, a reforma da previdência e a proposta concreta de desvinculação das receitas para a saúde, que destruirão o SUS, a saúde como um direito e o próprio Estado democrático de direito.

Os argumentos de que o SUS não tem garantido o cumprimento de seus princípios devem ser lidos a partir da análise sobre dados concretos do subfinanciamento do sistema e do desmonte de políticas e programas que organizam o mesmo. Toda a desconstrução do SUS determinará o aumento de pessoas adoecendo e morrendo, inclusive pessoas morrendo nas ruas sem nenhuma assistência e perspectiva de socorro, resultado das políticas de austeridade e de retirada de direitos sociais.

Portanto, nós, delegados e delegadas e participantes da 10ª Conferência Municipal de Saúde, ocorrida em Goiânia, no período de 13 a 16 de março de 2019, manifestamos nosso repúdio as políticas de austeridade implementas das a partir de 2016. Exigimos que o SUS e também os recursos naturais sejam preservados e protegidos como patrimônio do povo brasileiro, que o recurso do fundo do pré-sal seja retornado para a saúde e educação, ampliando assim a fonte de financiamento do SUS para além do que já está definido em lei.

Por fim, exigimos auditoria da dívida pública prevista no Artigo 26 Das Disposições Transitórias da Constituição Federal de 1988, que é fundamental para se obter a necessária transparência sobre o maior gasto do orçamento federal (juros e amortização da dívida), que consomem todo ano quase a metade das despesas federais, comprometendo também as finanças dos estados e municípios.

Portanto, somos contra a reforma da previdência social, a Emenda Constitucional No 95/2016 e as desvinculações de receitas constitucionais da saúde. Queremos a revisão da reforma trabalhista, a proteção do cerrado enquanto ambiente de vida e saúde e defendemos de forma intransigente o SUS como um direito e patrimônio dos goianienses, dos goianos e dos brasileiros.

Goiânia, 16 de Março de 2019.


17 de mar de 2019

Gloria Fuertes, la poeta antibelicista





Un niño con un libro de poesía en las manos nunca tendrá de mayor un arma entre ellas”.


"Uma criança com um livro de poesia nas mãos nunca terá, quando adulto, uma arma entre elas”.
Gloria Fuertes.
  

11 de mar de 2019

Feminicídio em Goiás -TBC Notícias entrevista a psicóloga Cida Alves


"De acordo com as informações da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde de Goiânia, 44 mulheres foram assassinadas em nossa Capital no ano de 2018. 50% dos feminicídios registrados em 2018 em Goiânia tiveram como meio de agressão arma de fogo" (Sistema de Informação de Mortalidade SMS de Goiânia, 2018)
Pela vida das mulheres, a saúde pública está em permanente campanha pela manutenção e fortalecimento do Estatuto do Desarmamento.

#NenhumaAMenos #NigunaAMenos #AsQueremosVivas #LasQueremosVivas



9 de mar de 2019

O amor e o virologista Marley - Eu sou a lenda de Francis Lawrence




 

“- Ele (Bob Marley) teve esta ideia como a ideia de um virologista, ele acreditava que poderia curar racismo e ódio, literalmente curar, apenas injetando música e amor na vida das pessoas. Um dia ele iria dar um show em um comício pela paz, então pistoleiros foram até a casa dele e atiraram nele. Dois dias depois ele subiu naquele palco e cantou. Alguém perguntou: por que? Ele disse: as pessoas que tentam tornar este mundo pior não tiram um dia de folga, como é que eu vou tirar?  Uma luz na escuridão”(texto do filme Eu Sou a Lenda de Francis Lawrence).




Foto: capturada na reportagem O diaem que tentaram matar Bob Marley com um tiro no coração” - Martin Riepl Da BBC Mundo


4 de mar de 2019

"Acredito ser o mais valente, nessa luta do rochedo com o mar" (Samba Enredo 1982 - É Hoje do G.R.E.S União da Ilha do Governador (RJ)


É hoje

A minha alegria atravessou o mar
E ancorou na passarela
Fez um desembarque fascinante
No maior show da terra
Será que eu serei o dono dessa festa
Um rei
No meio de uma gente tão modesta
Eu vim descendo a serra
Cheio de euforia para desfilar
O mundo inteiro espera
Hoje é dia do riso chorar

Levei o meu samba pra mãe de santo rezar
Contra o mau olhado eu carrego meu patuá
Eu levei!
Acredito
Acredito ser o mais valente, nessa luta do rochedo com o mar
E com o mar!
É hoje o dia da alegria
E a tristeza, nem pode pensar em chegar
Diga espelho meu!
Diga espelho meu
Se há na avenida alguém mais feliz que eu
Diga espelho meu
Se há na avenida alguém mais feliz que eu

Compositores: Didi e Mestrinho - Samba Enredo 1982 - É Hoje do G.R.E.S União da Ilha do Governador (RJ)