20 de abr de 2011

Homem suspeito de matar menino de 3 anos é preso no RS

Ele admitiu à polícia que agrediu o sobrinho de sua companheira. Para delegada, criança era vítima de maus-tratos frequentemente.

Um homem, de 29 anos, suspeito de matar o sobrinho de sua companheira foi preso em Caçapava do Sul (RS), nesta terça-feira (19). O menino tinha 3 anos e morava com a tia, segundo a Polícia Civil. De acordo com a delegada Fabiane Bittencourt, durante o depoimento, o suspeito teria admitido que agrediu a criança.

Ele permanecerá detido e foi encaminhado ao presídio de Caçapava do Sul. O menino, que chegou a ser levado para o hospital, apresentava muitos hematomas pelo corpo, o que fez a delegada acreditar que ele vinha sendo vítima de maus-tratos frequentemente.

Segundo a delegada Fabiane, um inquérito policial foi aberto para apurar o caso. A polícia vai investigar se tia do menino foi cúmplice ou omissa no cometimento das agressões. Ela não foi detida.

Veja reportagem completas aqui

Relembrando algumas tristes estatísticas:

A cada dois dias, em média, cinco crianças de até 14 anos morrem vítimas de agressão. Ou seja, a cada dez horas, uma criança é assassinada no Brasil (Sistema de Informação de mortalidade (SIM) Ministério da Saúde – 2008).

De 1990 a 2000 morreram no Brasil 211.918 crianças e adolescentes por acidentes e violências (causas externas), sendo 59.203 crianças de 0 a 9 anos de idade, 33. 512 púberes de 10 a 14 anos e 119.203 adolescentes de 15 a 19 anos. Esses números são impressionantes, principalmente quando comparados aos 146.824 óbitos por doenças infecciosas e parasitárias (DIP), ocorridas no mesmo grupo etário, no mesmo período (BRASIL,2005, p.24).

Do ponto de vista da morbidade medida pelas internações hospitalares, verifica-se elevada ocorrência de traumatismo de crânio em crianças. No Brasil, em 1998, foram internadas por essa causa 16.376 crianças menores de 10 anos, com predomínio também do sexo masculino. Quanto a idade 56,8% eram menores de 5 anos, sendo representativo o número de internações em menores de 1 ano (BRASIL, 2005, p. 27).

10% das crianças que se apresentam nas urgências dos hospitais no Brasil, com menos de 5 anos, são vítimas de abuso físico. Nas internações hospitalares, verifica-se elevada ocorrência de traumatismo craniano em crianças (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2004)

A partir de 1 ano de idade o que mata e adoece nossas crianças e jovens não são as causas biomédicas e sim os acidentes e as violências.

“(...) a maior ameaça à vida dos jovens em nosso País, na atualidade, não são mais as doenças, mas sim a violência”
(Jarbas Barbosa da Silva Júnior - Secretário de Vigilância em Saúde/MS e Horacio Toro Ocampo - Representante do Brasil da Organização Pan-Americana da Saúde – OMS – “Impacto da violência na saúde dos brasileiros” - MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2005).

Conheça ainda a pesquisa realizada no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP)

O pediatra Antonio Carlos Alves Cardoso, comenta que o dado referente aos abusos físicos não destoa de outras realidades. Sua tese alertou que 75% dos casos de agressão acontecem com crianças menores de dois anos. “Dessa porcentagem, metade é menor de um ano, fase na qual a criança ainda não consegue se expressar ou se defender”, observa o médico.

O pediatra lembra também que, às vezes, as pessoas nem desconfiam dos verdadeiros agressores: “Pequenos detalhes que as crianças emitem podem ser fundamentais para evitar uma tragédia, pois estatísticas mostram que 5% das vítimas de maus tratos acabam morrendo na mão dos agressores”

Saiba mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)