25 de mai de 2011

Pimenta Neves é preso 11 anos após o assassinato de sua ex-namorada







Supremo Tribunal Federal determinou ontem que cumprisse a pena em regime fechado. Ele se entregou e foi transferido para o interior de SP.



O jornalista Antônio Pimenta Neves, que foi condenado pela morte da ex-namorada Sandra Gomide, foi transferido para o Presídio de Tremembé, no interior de São Paulo. Ele se entregou ontem à noite. O crime foi há 11 anos. Ontem o Supremo Tribunal Federal determinou que o jornalista cumpra a pena de 15 anos em regime fechado.

Depois de fazer o exame de corpo de delito, o jornalista Antônio Pimenta Neves, de 74 anos, foi levado direto para uma delegacia no centro de São Paulo. Pimenta Neves ficou isolado numa cela especial, mas sem regalias.

Depois do julgamento em 2006, que condenou o jornalista, a defesa entrou com mais de 20 recursos. Mas ontem à tarde, o Supremo Tribunal Federal determinou que ele cumpra a pena de 15 anos de prisão a qual foi condenado pelo assassinato de Sandra Gomide.

“Ontem perante o STF foi o último recurso, transitou em julgado, como a gente costuma dizer, e não cabe mais nenhum recurso por parte da defesa”, explica Carlos Horta Filho, promotor de justiça. Antônio Pimenta Neves e Sandra Gomide se conheceram na redação do jornal o Estado de São Paulo. Depois de dois anos de relacionamento, Sandra terminou o namoro e foi demitida por Pimenta Neves. No dia 20 de agosto de 2.000, a ex-namorada foi assassinada pelo jornalista com dois tiros.

Segundo o promotor de justiça Carlos Horta Filho, o jornalista Antônio Pimenta Neves deve ficar preso por quase dois anos em regime fechado. Depois, se tiver bom comportamento, deve ser beneficiado pelo regime semiaberto, ou seja, trabalhar durante o dia e dormir na cadeia.

Fonte: G1 em 25 de maio de 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)