17 de nov de 2015

Nota do CFP sobre declarações do padre Marcelo Rossi

Autarquia manifesta discordância quanto às declarações dadas em entrevista na última quinta

Em resposta às declarações do padre Marcelo Rossi durante entrevista na última quinta feira, dia 12 de novembro, referindo-se ao psicólogo como “terapeuta que dá conselhos”, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) manifesta seu repúdio a tal declaração e convoca a categoria a pensar em quanto ainda nos deparamos com formas disfarçadas de resistência e preconceito quanto ao exercício da psicoterapia.

Sabemos que a psicoterapia não é “conselho”, mas uma prática que tem sua origem em 1872 e é um método de tratamento das doenças psíquicas. Método de tratamento que pressupõe uma teoria que a sustenta, procedimentos que estejam em consonância com essa teoria e um treinamento, que supõe a supervisão. A esse conjunto chamamos de formação, e o profissional assim habilitado desenvolve uma prática – que é ética.

As ciências humanas distinguem-se pela não exterioridade entre sujeito e objeto, assim como pela ação – sempre passível de reciprocidade – sobre o ser humano. Por isso, a responsabilidade e a ética se impõem, e fazem da prática da psicoterapia um método de tratamento reconhecido e legal.

Conselho Federal de Psicologia   

16 de novembro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)