13 de ago de 2016

"Roteiro" - Sidónio Muralha





















Roteiro

 Parar. Parar não paro.
Esquecer. Esquecer não esqueço.
Se caráter custa caro
pago o preço.

Pago embora seja raro.
mas homem não tem avesso
e o peso da pedra eu comparo
à força do arremesso.

Um rio, só se for claro.
Correr sim, mas sem tropeço.
Mas se tropeçar não paro
– não paro nem mereço.

E que ninguém me dê amparo
nem me pergunte se padeço.
Não sou nem serei avaro
– se caráter custa caro
pago o preço.
 

Sidónio Muralha


Poema de Sidônio Muralha, português que se exilou no Brasil durante a ditadura de Antônio de Oliveira Salazar

Foto: Muralha em Glaura - Roteiro da estrada-real (Minas Gerais\ Brasil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)