1 de jul de 2014

Como disciplinar os filhos – Revista Sentinela

“Eu ouvia impaciente cada carro que passava. Já era a terceira vez que Jordan não voltava para casa no horário combinado. ‘Onde ele está?’, eu me perguntava. ‘Será que aconteceu alguma coisa? Ele faz ideia de como estamos preocupados?’ Quando ele chegou, eu estava a ponto de explodir.” — GEORGE.

“Minha filha deu um grito que me assustou. Quando me virei, vi que ela estava chorando e com a mão na cabeça. Meu filho de 4 anos tinha batido nela.” — NICOLE.

“‘Eu não roubei. Eu encontrei esse anel!’, disse Natalie, nossa filha de 6 anos, com um olhar de inocência. Ela insistiu tanto nisso que ficamos muito tristes e até choramos. Nós sabíamos que ela estava mentindo.” — STEPHEN.


SE VOCÊ tem filhos, já se sentiu como esses pais? Ao se deparar com situações parecidas, você talvez se pergunte como disciplinar seu filho, ou até mesmo se deve fazer isso. É errado disciplinar os filhos?

 

O QUE É DISCIPLINA?

Na Bíblia, a palavra “disciplina” não é sinônimo de punição. Disciplina tem a ver principalmente com instrução, educação e correção. Nunca está relacionada a maus-tratos ou crueldade. — Provérbios 4:1, 2.

A disciplina pode ser comparada à jardinagem. Um jardineiro prepara o solo, rega e nutre a planta, e a protege contra insetos e ervas daninhas. À medida que a planta cresce, o jardineiro talvez tenha de podá-la para que ela cresça na direção correta. O jardineiro sabe que precisa conciliar o uso de várias técnicas para que a planta cresça saudável. De forma parecida, os pais empregam vários métodos para criar seus filhos. Mas às vezes é necessário aplicar disciplina — que, assim como a poda, pode corrigir tendências erradas já de início e ajudar os filhos a crescer na direção correta. No entanto, a poda deve ser feita com cuidado, ou a planta sofrerá danos permanentes. Do mesmo modo, a disciplina dos pais precisa ser aplicada com amor.

Jeová, o Deus da Bíblia, é um bom exemplo para os pais. A disciplina que ele dá a seus adoradores obedientes sempre tem bom resultado, e é tão agradável e eficaz que eles na verdade ‘amam a disciplina’. (Provérbios 12:1) Eles ‘agarram a disciplina’ e ‘não a largam’. (Provérbios 4:13) Você pode ajudar seu filho a aceitar a disciplina por imitar três qualidades de Deus: (1) amor, (2) razoabilidade e (3) coerência.

 

SEJA AMOROSO

A disciplina divina é motivada pelo amor e se baseia nele. A Bíblia diz: “Jeová repreende aquele a quem ama, assim como o pai faz com o filho em quem tem prazer.” (Provérbios 3:12) Além disso, Jeová, é “misericordioso e clemente, vagaroso em irar-se”. (Êxodo 34:6) Por esse motivo, Jeová nunca é insensível ou cruel. Ele também não usa palavras duras, sarcasmo ou críticas, coisas que podem ferir “como que com as estocadas duma espada”. — Provérbios 12:18.

 

Uma mãe pacientemente ouve sua filha

ESCUTE

É claro que os pais não conseguem imitar com perfeição o exemplo de Deus em demonstrar autodomínio. Às vezes é quase impossível manter a calma. Mas nessas horas é bom lembrar que a punição motivada pela raiva ou frustração geralmente é opressiva, exagerada e tem efeito negativo. Além do mais, esse tipo de punição não é disciplina. É simplesmente perda de autodomínio.

Por outro lado, a disciplina aplicada com amor e autodomínio provavelmente dará melhores resultados. Veja como George e Nicole lidaram com as situações mencionadas no início do artigo.

 

Um pai amoroso ora com seu filho

ORE

“Quando Jordan finalmente chegou, minha esposa e eu estávamos muito irritados, mas nos controlamos enquanto ouvíamos sua explicação. Como já era tarde, decidimos falar sobre o assunto na manhã seguinte. Nós oramos juntos e fomos dormir. No outro dia, estávamos mais calmos para falar sobre o que tinha acontecido e ajudar nosso filho a raciocinar. Ele aceitou bem os limites que estabelecemos e admitiu que tinha agido errado. Sabíamos que tomar uma atitude quando se está aborrecido pode produzir efeitos negativos. Quando ouvimos primeiro, o resultado é melhor.” — George.

 

Uma mãe amorosa raciocina com sua filha

CONVERSE

“Fiquei furiosa quando vi que meu filho tinha batido na irmã. Em vez de tomar uma decisão precipitada, mandei que ele fosse para o quarto. Mais tarde, quando me acalmei, expliquei de modo firme que é errado bater nos outros e fiz ele entender que aquilo machucava. Essa abordagem funcionou bem. Ele pediu desculpas à irmã e deu um abraço nela.” — Nicole.

Com certeza a verdadeira disciplina, mesmo quando inclui algum tipo de castigo, é sempre motivada por amor.

 

SEJA RAZOÁVEL

A disciplina de Jeová sempre é aplicada “no grau correto”. (Jeremias 30:11; 46:28) Ele leva em conta todos os fatores envolvidos. Como os pais podem fazer o mesmo? Stephen, mencionado no início do artigo, explica: “Estávamos muito chateados e não entendíamos por que Natalie negava que tinha roubado o anel; mesmo assim, tentamos levar em conta sua idade e seu grau de maturidade.”

Robert, o marido de Nicole, também procura levar em conta todos os fatores envolvidos. Quando as crianças fazem alguma coisa errada, ele sempre se pergunta: ‘Esse foi um caso isolado ou está se tornando uma tendência? A criança está cansada ou não se sente muito bem? Essa atitude é sinal de outro problema?’

Pais razoáveis também têm em mente que as crianças não são adultos em miniatura. O apóstolo Paulo reconheceu isso ao escrever: “Quando eu era pequenino, costumava falar como pequenino, pensar como pequenino.” (1 Coríntios 13:11) Robert diz: “Algo que me ajuda a manter as coisas na perspectiva correta e a evitar ir longe demais é lembrar do que eu mesmo fazia quando era criança.”

É muito importante ter expectativas realistas sobre os filhos. Mas, ao mesmo tempo, não se deve fechar os olhos a atitudes e ideias erradas nem tentar justificá-las. Levar em conta as habilidades, limitações e circunstâncias de seu filho fará com que sua disciplina seja equilibrada e razoável.

 

SEJA COERENTE

“Eu sou Jeová; não mudei”, diz Malaquias 3:6. Os servos de Deus confiam na verdade dessas palavras e isso lhes dá segurança. Quando os pais são coerentes na disciplina, as crianças também se sentem seguras. Se suas regras mudam de acordo com seu humor, seus filhos podem ficar confusos e frustrados.

Lembre-se de que Jesus disse: “Deixai simplesmente que a vossa palavra Sim signifique Sim, e o vosso Não, Não.” Essas palavras se aplicam bem à criação de filhos. (Mateus 5:37) Pense bem antes de prometer um castigo que você não tem intenção de aplicar. Se você disser a seu filho que ele será punido de determinada maneira se ele não se comportar bem, cumpra sua palavra.

A boa comunicação entre os pais é muito importante para uma disciplina coerente. Robert explica: “Se nossos filhos me pedem para fazer algo e eu permito, mas depois fico sabendo que minha esposa já os tinha proibido, mudo minha decisão para apoiá-la.” Se os pais discordam quanto a como lidar com uma situação, é melhor que falem sobre isso em particular e entrem num acordo.

 

A DISCIPLINA É ESSENCIAL

Se você imitar a maneira amorosa, razoável e coerente de Jeová disciplinar, pode ter certeza de que seus esforços beneficiarão seus filhos. Sua amorosa orientação os ajudará a se tornarem adultos maduros, responsáveis e equilibrados. É como a Bíblia diz: “Educa o rapaz segundo o caminho que é para ele; mesmo quando envelhecer não se desviará dele.” — Provérbios 22:6.

 

A disciplina baseada na Bíblia é:

  1. Amorosa: A disciplina eficaz se baseia no amor, não na raiva. Em uma situação especialmente difícil, espere até se acalmar para disciplinar seu filho.

  2. Razoável: Procure levar em conta todas as circunstâncias, incluindo as habilidades e limitações de seu filho.

  3. Coerente: Se disser a seu filho que ele será punido de determinada maneira se ele não se comportar bem, cumpra sua palavra.


Enviado por Lenne Evaristo em 28 de junho de 2014.

Fonte: Revista Sentinela, junho de 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)