19 de fev de 2012

Os moradores de rua e o lado selvagem de Goiânia

Car@ amig@,

As postagens de domingo do blog Educar Sem Violência normalmente são dedicadas ao belo, ao bom e ao justo. Nelas busco ressaltar os atos e os sentimentos que inspiram, encantam, enobrecem e transcendem a nossa condição humana.

Todavia, nesse domingo, o que quero é expressar a minha indignação, sem alívios ou disfarces ante a violência que a população de rua vem sofrendo em Goiânia. Frente a essa barbárie não posso acomodar o meu espírito em sedutoras e doces amenidades.

Hoje, em pleno carnaval, não anseio o frenesi dos ritmos dos tambores, nem tampouco o torpor anestesiante das águas geladas de uma cachoeira qualquer.

Nesse domingo, por intermédio de palavras e imagens, quero mais é me compadecer com a dor cortante de quem já está desprovido de todos os direitos: sem casa, sem família, sem trabalho, sem alimento, sem calor, sem aconchego..... sem quase tudo!!!

E como se não bastasse tamanha falta, agora em nome de um ideal fascista de higienização da cidade querem levar o que lhes restam: o minguado direito de ir, vir e ficar em um canto largado e sujo qualquer.

 

Selvagem

A polícia apresenta suas armas
Escudos transparentes, cassetetes
Capacetes reluzentes
E a determinação de manter tudo
Em seu lugar

O governo apresenta suas armas
Discurso reticente, novidade inconsistente
E a liberdade cai por terra
Aos pés de um filme de Godard

A cidade apresenta suas armas
Meninos nos sinais, mendigos pelos cantos
E o espanto está nos olhos de quem vê
O grande monstro a se criar

Os negros apresentam suas armas
As costas marcadas, as mãos calejadas
E a esperteza que só tem quem tá
Cansado de apanhar

Os Paralamas do Sucesso


Veja as notícias sobre a Operação Salus

NOTA DE REPÚDIO À “OPERAÇÃO SALUS”

Operação Salus encaminha 120 indivíduos em situação de rua

Operação Salus: resultados não agradam

Goiânia é a 40° cidade mais violenta do mundo

E lá em São Paulo o Coronel que liderou o massacre do Pinheirinho é condecorado pela PM tucana.

Coronel do Pinheirinho foi condecorado

Um comentário:

  1. Pela minha formação espiritualista holística mesma,estou inabalavelmente convicta de que,sim,as pessoas em situação de rua precisam,devem,merecem,TÊM QUE,como seres humanos,receber tratamento de recuperação,encaminhamento,melhoras em todos os sentidos do que seja uma vida humana minimamente digna mas há também a considerar que certos tipos de mendigos incomodam e muito,ou com ruídos,ou com maior ou menor periculosidade. Não me parece que nós,trabalhadores,cada qual procurando viver da melhor maneira possível frente a seus próprios testemunhos,tenhamos,por qualquer tipo de obrigação - moral,filosófica,religiosa,que o seja - que aceitar,passivamente,que as ruas sejam tomadas por indigentes que,insisto nisto,porque sei do que estou falando,EM MAIOR OU MENOR GRAU representam perigo,ou desconforto,ou ruídos desagradáveis,ou tudo isto jundo e um pouco mais... Que haja,sim,encaminhamento humano,para tratamento,melhora,recuperação de tais pessoas - em verdade,que não sejamos egoístas perante este assunto,mas que também não tenhamos a obrigação absurda de sermos incomodados por tal tipo de situação.Numa sociedade um pouco mais evoluída e consciente de nosso papel no Universo e no Kosmo,nada disso acontece - nem miséria,nem incômodos de qualquer tipo.

    ResponderExcluir

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)