6 de jan de 2012

Denúncia do Conselho Indígena Missionário: criança indígena de 8 anos é queimada viva por madeireiros

 

“A barbárie nunca calou o Brasil.

A assessoria de comunicação do CIMI - Conselho Indígena Missionário (organismo vinculado à Conferência Nacional de Bispos do Brasil) noticiou hoje que "lideranças indígenas do povo Guajajara (ou Tenetehara) da aldeia Zutiwa, Terra Indígena Araribóia, no Maranhão, denunciam o assassinato de uma criança Awá-Guajá que pertencia a um grupo em situação de isolamento."

Segundo notícias que circulam na internet, de fontes respeitadas, a criança Awá-Guajá teria sido brutalmente queimada viva.

A gravíssima seriedade da denúncia exige apuração das mais rigorosas e, eventualmente, punição exemplar dos eventuais culpados.

Caso se confirme, trata-se de um dos crimes mais bárbaros cometidos na infame história de massacres no Brasil.

Não podemos permanecer calados: pela sua gravidade, a denúncia exige apuração imediata.

É imperativo, ademais, que a FUNAI – Fundação Nacional do Índio se pronuncie, com a devida urgência, sobre o ocorrido.

Somente dessa maneira será garantida a circulação de informações isentas e objetivas e logrado o pronto esclarecimento do caso.

A barbárie jamais calará o Brasil”!

Texto postado por Danilo Zimbres em seu facebook em 06 de janeiro de 2011.

 

Veja abaixo a matéria publicada no Conexão Brasília Maranhã

Criança indígena de 8 anos é queimada viva por madeireiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)