26 de nov de 2010

Uma triste notícia: mais uma jovem morre vítima de espaçamento

PAI ESPANCA E MATA FILHA DE 15 ANOS QUE NAMORAVA ESCONDIDO





A estudante Larissa Rafaela Kondo de Lima, de 15 anos, morreu ontem após ser espancada pelo pai, o motorista José Carlos de Lima, de 38 anos, em Cafelândia, interior de São Paulo. O motivo da agressão seria um namoro que a menina mantinha escondido dos pais.


De acordo com o delegado Adilson Carlos Vicentini Batanero, a mãe da menina, Márcia Kondo de Lima, de 42 anos, reclamou quando ela chegou tarde em casa, por volta das 18h30 de anteontem, com uma amiga. Após discussão, a filha contou que estava com o namorado.

Márcia teria então batido nela com um cinto. Quando o pai chegou em casa e soube da história, teria espancado Larissa - até mesmo com chutes na cabeça, segundo depoimento da mãe.

Todos foram dormir e os pais acordaram quando ouviram o barulho do chuveiro. Larissa estava tonta e tentava tomar banho para aliviar as dores provocadas pela surra.

Levada ao Pronto-Socorro de Cafelândia, a menina teve de ser transferida para o Hospital de Bauru, onde morreu. Segundo o delegado, o médico-legista disse que Larissa morreu por causa de um edema pulmonar, provocado pelas pancadas na cabeça.

O pai foi detido e será autuado por crime de lesão corporal seguido de morte. A mãe está internada em estado de choque.

Religião

Vizinhos disseram que todos, menos o pai, eram evangélicos, e o fato de o namorado não ser da mesma religião pode ter motivado as agressões.

Fonte: O ESTADO DE S. PAULO, 25-11-2010
Enviado por Diane Valdez - Goiânia - Goiás

Um comentário:

  1. Oi Cida, que notícia lamentável. Me causa instensa tristeza constatar, diariamente, que não sabemos lidar com nossos filhos. O que aconteceu com essa adolescente, em menor escala, acontece com maior frequencia do que é possível imaginar. Temos que nos reeducar para conseguirmos interromper essa prática que não acontece só a partir de espancamentos e mortes, mas, com agressões verbais que tanto marcam nossas crianças e adolescentes. O que podemos fazer? Vejo em nossas igrejas, vizinhanças, e mesmo em nossos lares que perdemos o rumo da conviência. Estamos cada dia mais intolerantes e admitimos, cada dia mais, práticas perversas e, as vezes, sem ao menos tocarmos em outros corpos indefesos. Precisamos aprender a conviver - essa é a maior tarefa/desafio colocado a todos nós.
    A propósito, no próximo domingo, na TV Brasil, programa "Papo de mãe", será discutivo o assunto "palmada". O programa é as 19h, vale a pena conferir.

    Abraços,
    Sandra de Lourdes

    ResponderExcluir

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)