4 de mai de 2017

CRP-09 participa de comitiva em apoio ao estudante agredido por um policial militar durante manifestação





O Conselho Regional de Psicologia 9ª Região Goiás (CRP-09) participou de uma comitiva nesta quarta-feira (3/5) que visitou os familiares do estudante da UFG Mateus Ferreira, 33, agredido por um policial militar na manifestação do dia 28/4 contra as reformas da previdência e trabalhista, e que também se reuniu com o secretário estadual de Segurança Pública de Goiás, Ricardo Balestreri.





Integraram a comitiva de solidariedade aos familiares e aos amigos do estudante Mateus Ferreira as senadoras Fátima Bezerra PT do RN, Gleisi Hoffmann PT do PR, Regina Souza PT do PI, e o senador Lindbergh de Faria PT do RJ.




Acompanharam a visita ao Hospital de Urgências de Goiânia e à audiência com o Secretário de Segurança Pública de Goiás Ricardo Balestreri, a Deputada Estadual Isaura Lemos do PC do B (Goiás) e os representantes da Central Única dos Trabalhadores - Mauro Rubem, do Comitê Goiano de Direitos Humanos 'Dom Tomás Balduino'- Angela Cristina Ferreira, e do Conselho Regional de Psicologia - Cida Alves.


 Além do Conselho, participaram da comitiva parlamentares representantes das comissões de direitos humanos do Senado Federal, da Assembleia Legislativa de Goiás, da OAB de Goiás, de estudantes, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e da Comissão Goiana de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno.

A representante do CRP-09, psicóloga Cida Alves, contou que a família, que veio do interior paulista, expressou gratidão pelo acolhimento que tiveram ao chegar em Goiás. “Apesar do que aconteceu com o filho deles, o pai e a mãe estão muito gratos pelo auxílio dos amigos do Mateus e de algumas entidades”, afirma. Vários amigos do estudante fazem vigília no Hospital de Urgências de Goiânia.





Na ocasião, Cida Alves demonstrou o apoio do Conselho que é contra a violência cometida pelo policial. “O Conselho representa profissionais que têm como ofício o desenvolvimento humano, o cuidado com a integridade das pessoas, respeitando sua individualidade e reconhecendo que o sujeito tem legitimidade para lutar por uma melhora social. Consideramos inaceitável a violência cometida contra o estudante Mateus. Toda violência pode ser evitada e nenhuma é justificada, não tem nenhuma justificativa plausível. É necessária uma reparação, por meio da Justiça, e a responsabilização do autor da violência”, destacou.


Na última sexta-feira (28/4), o estudante de Ciências Sociais da UFG, Mateus Ferreira, ficou gravemente ferido após ser agredido por um policial militar com um cassetete, que se partiu ao atingir a cabeça da vítima. Ele passou por cirurgia, permanece na UTI e seu quadro de saúde tem apresentado melhoras.

Fonte: CRP 09, 4 de maio de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)