19 de set de 2015

What is it that makes us human? - Yann Arthus-Bertrand

“Eu me lembro que meu padrasto me batia com extensões, cabides, pedaços de paus, um monte de coisas. Sempre me dizia:
- ‘Doí mais em mim que em você’.
- ‘Só fiz isso por que te amo’.

Ele me transmitiu uma ideia errada do que era o amor. Durante anos achei que o amor tinha que fazer o mal. Eu fazia o mal a todo mundo que eu amava. Eu media o amor em relação à dor que alguém pudesse suportar. Foi quando vim para a cadeia, esse ambiente desprovido de amor que comecei a entender melhor o que era amor e o que não era amor. Conheci uma pessoa. Ela me mostrou o que era o amor por que viu além de minha condição, condenado a prisão perpétua pelo pior tipo de assassinato: o de uma mulher e de uma criança. Foi Agnes, mãe e avó de Patrícia e Chris minhas vítimas quem deu minha maior lição de amor. Ela tinha todo o direito de me odiar. Mas não me odiava. Com o passar do tempo, nessa jornada que fizemos juntos... Foi incrível. Ela me deu amor. Ela me ensinou o que era o amor”.
(Depoimento do documentário What is it that makes us human?)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)