12 de ago de 2012

O que nossos gestos fazem com o outro?

 

Gesto 1

 

“Cada gesto, cada ato cotidiano

 

Gesto 2

 

está impregnado de valores, crenças e teorias.

 

Gestos 3

As nossas práticas refletem a nossa visão de Mundo” (Cida Alves).

 

Como tocamos o outro? Que sentidos ou palavras habitam nossos gestos? Costumamos reparar em como nossos corpos se expressam? Percebemos como os outros corpos reagem aos nossos gestos e ações?

Bem, a grande, a monstruosa bailaria Pina Bauscha criou uma coreografia para falar exatamente disso, da nossa forma de tocar o outro e o como nos sentimos com o toque do outro.

Nesse domingo deixo para você o trailler do filme “SONHOS EM MOVIMENTO” que registra o ensaio de adolescentes que nunca dançaram da peça Kontakthof (Pátio de encontros) de Pina Bauscha.

 

 

 

SONHOS EM MOVIMENTO

UM BELÍSSIMO FILME!!! Um filme que todo educador e terapeuta de crianças e adolescentes deveriam assistir. A postura das duas coreógrafas, e da própria Pina Bausch, é um exemplo vivo do que Paulo Freire diz sobre o conceito de AMOROSIDADE com o aprendiz. É visceral o engajamento e o compromisso das coreografas com o processo de aprendizagem e amadurecimento dos adolescentes.

O desafio delas é gigantesco, ensinar a árdua tarefa de desinibir e dar expressividade aos movimentos corporais de adolescentes que nunca dançaram. Mas com empatia, cuidado e persistência elas superam todas as expectativas!!! O processo de aprendizagem é tão intenso que os jovens aprendem muito mais que dançar, aprendem a conviver com as diferenças, aprendem a enfrentar os seus medos e vergonhas e aprendem a ter autoconfiança e coragem ao expor seus corpos e movimentos.

Brinde a mais “Leozinha” de Caetano Veloso interpretado por um dos bailarinos da companhia de Pina Bauscha

 

 

ATENÇÃO: ainda não consegui o link para download do filme SONHO EM MOVIMENTOS, mas assim que conseguir compartilho no Blog EDUCAR SEM VIOLÊNCIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)