29 de out de 2009

"Cida, estamos juntos nesta luta"


.
Cida,

Parabéns pelo blog.

Nós que estudamos e atuamos em defesa dos direitos da criança e do adolescente precisamos de espaços como esses para divulgarmos nossas lutas, conquistas e principalmente os desafios que encontramos sempre nesta árdua tarefa de contribuir para um mundo melhor e menos violento. Li seu relato a respeito da menina que sofreu maus tratos e abusos sexuais e que, lamentavelmente a justiça permite que o próprio abusador, pai biológico continue a manter contatos com ela.

Li também o comentário do Sr. Wilian, o que infelizmente não me causa surpresa. Depois de longos anos trabalhando nesta área, estou acostumada (porém não resignada) a ver defesas explícitas ou implícitas dos abusadores. E, para isso, valem-se de todo tipo de argumentos, até mesmo esse de que a criança está mentindo, pois teria sido influenciada (a tal lavagem cerebral) por outras pessoas. Insistem em desacreditar as crianças, torná-las sem voz, invisíveis, mas as marcas deixadas na alma e às vezes no corpo dessas crianças falam mais alto.

Não se preocupe, Cida estamos juntos nesta luta e não deixaremos que as difíceis duras conquistas sejam esquecidas.

Um abraço!

Da amiga
Veralúcia Pinheiro
Assistente Social


*Veralúcia Pinheiro possui graduação em Serviço Social pela Universidade Católica de Goiás (1985), mestrado em Educação Brasileira pela Universidade Federal de Goiás (2000) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2006). Atualmente é assistente social da Universidade Federal de Goiás e docente de ensino superior doutor da Universidade Estadual de Goiás. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social, atuando principalmente nos seguintes temas: violência, educação, juventude, adolescente e família (Currículo Lattes).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)