20 de jan de 2011

Campanha incentiva denúncias pelo Disque 100 sobre abusos sexuais contra crianças e adolescentes.



Com o conceito “Quebre esse silêncio e seja a voz daqueles que não podem falar” a campanha convoca a participação efetiva da sociedade para a erradicação do problema em Santa Catarina



Uma campanha assinada pela D/Araújo para a organização não governamental Fórum Catarinense pelo Fim da Violência e da Exploração Sexual Infantojuvenil pretende incentivar as denúncias pelo Disque 100 sobre abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes catarinenses. A iniciativa é da ONG, juntamente com o Ministério Público de Santa Catarina e conta com o apoio da agência comandada pelo publicitário Daniel Araújo, dos grupos de comunicação RBS (Globo), RIC (Record), Rede SC (SBT) e Barriga Verde (BAND); da Rede ACAERT de Rádio; da ADI (Associação de Diários do Interior) e da ADJORI (Associação dos Jornais de Interior de Santa Catarina). Com o conceito “Quebre esse silêncio e seja a voz daqueles que não podem falar. Disque 100 e denuncie o abuso sexual infantojuvenil” a ação é resultado do trabalho voluntário da D/Araújo e da mídia estadual, que veicula as peças em TV, rádio e jornal gratuitamente. “A mídia tem um poder transformador que pode e deve ser utilizado para uma sociedade melhor e mais justa”, afirma o publicitário Daniel Araújo. A Associação Catarinense de Supermercadistas (ACATS), a Federação do Comércio (Fecomércio), as Lojas Koerich e a D/Araújo são as patrocinadoras para a produção das peças da campanha.

O Diretor de Criação da D/Araújo, Alexandre Guedes, procurou valorizar a atitude de quem denuncia e que, dessa forma, pode mudar o destino de alguém. Afinal, o silêncio das vítimas e a omissão da sociedade impedem o trabalho da justiça a favor da infância e da adolescência. “De certo modo, quem não denuncia acaba sendo conivente com o crime. Nas pesquisas apresentadas ficou claro que esse é um dos principais entraves para o combate mais eficaz aos abusos. Além disso, as crianças afetadas emocionalmente não falam sobre o assunto com ninguém. Perdem a infância, ficam reféns do medo, da vergonha e da culpa”, argumenta Guedes. Para expressar a situação, o diretor de criação recorreu a um saco de papel que, colocado sobre a cabeça da vítima, permite que apenas ela enxergue sua difícil realidade. No filme de 30”, uma menina caminha para a escola aparentemente triste e isolada de outros grupos, e a imagem traz a criança com o rosto encoberto pelo saco. Ao chegar à escola, a professora a recepciona com um sorriso solidário e a liberta, retirando o invólucro de sua cabeça. A mesma imagem, com recurso interativo, aparece no cartaz espalhado por diversos pontos estratégicos, em Santa Catarina. O saco de papel é um aplique que pode ser retirado por quem observa a peça, revelando o rosto de uma criança. Os profissionais de educação são aliados nesse contexto, o que fica claro no filme. Porém, o cartaz interativo demonstra que cada um de nós pode exercer essa função social. No spot de rádio, diversos toques de telefone antecedem a mensagem do locutor: “A sociedade acaba de levar uma chamada.” Na assinatura das peças de mídia eletrônica, o texto em off estimula a denúncia: “Quebre esse silêncio, disque 100.” A campanha envolve, ainda, a distribuição de folders e o site www.fimdaviolenciainfantil.com.br

A voz da liberdade

O Disque 100 é um número de telefone nacional, que serve para denúncias contra violência, abuso sexual, agressões físicas e/ou psicológicas cometidas contra crianças e adolescentes. Em Santa Catarina, o trabalho pela erradicação desse problema é realizado pelo Fórum Catarinense pelo Fim da Violência e da Exploração Sexual Infantojuvenil, com sede em Lages (SC), há 12 anos. Dados oficiais que embasaram o desenvolvimento da campanha de mídia estadual mostram que 90% dos abusadores são homens em idade adulta – pais, padrastos ou parentes próximos –, dos quais as crianças e adolescentes deveriam receber cuidados e proteção. As meninas são vítimas em 76% dos casos e, 37% delas têm menos de 11 anos. Em Santa Catarina, são atendidos cerca de 500 casos por mês. Porém, segundo especialistas, apenas 10% dos casos de abuso sexual intrafamiliar são revelados. No Brasil, aproximadamente, 165 crianças são vítimas de abuso sexual todos os dias.

Assita o filme abaixo:





O filme ressalta o papel dos educadores na identificação da situação em que se encontra a criança ou adolescente no contexto da violência física e emocional.

Mais Informações:
Christiane Santoro Balbys - Jornalista
Assessoria de Imprensa D/Araújo Comunicação
5548 3332 8039
5548 9101 1462
christiane@daraujo.com
www.daraujo.com

Fonte: ANDI em 19 de janeiro de 2011.

Um comentário:

  1. Creo que el video es muy bueno, realmente las campañas llegan más cerca de las personas cuando se usa la imagen. En mi país estan los spots de audio y video de la Campaña Nacional Vivir sin violencia. Si pueden veanlos.
    Eugenia

    ResponderExcluir

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)