20 de mai de 2011

Filho indignado resolve filmar as violências que o pai comete contra os seus irmãos

Veja o que um pai é capaz de fazer com seus filhos!



Pasme! Mas ainda tem muita gente no Brasil que acredita que propor um projeto de lei que proíba esse tipo de violência contra crianças e adolescentes é "coisa pra gente que não vive no mundo real e não tem o que fazer...." (a frase entre parênteses foi enviada ao blog Educar Sem Violência por um anônimo, no dia 19 de maio de 2011).



2 comentários:

  1. Que horror, chocante, é preciso intensificar esse debate, enfatizando a importância da saúde mental pra tod@s, especialmente, para as crianças que tem o direito de crescer saudavelmente sob todos os aspectos. Acredito, que mais que um projeto de lei, é importante que esses valores fiquem inscritos no imaginário da população, evitando-se assim, os equívocos cometidos em nome da "boa educação". Leis são importantes e necessárias, precisamos torná-las vivas, a sensação é que estamos fazendo pouco, pois os casos de violência se multiplicam de forma avassaladora. A cena é mto forte, as palavras são insuficientes pra descrever o que estou sentindo.

    ResponderExcluir
  2. Querida Orailda,

    Compartilho com você a sua indignação.

    Se para nós, que estamos distantes, é quase insuportável assistir a cena até o final, imagina o tamanho do sofrimento e do medo porque passaram as crianças do vídeo.

    O impulso que tive, ainda que ilógico, na hora que vi as imagens foi querer atravessar a tela do computador e tentar socorrer as crianças para que elas não apanhassem mais.

    Conto com sua força e seu engajamento para intensificarmos esse debate aqui em Goiás.

    Um abraço carinhoso de quem lhe admira muito.

    ResponderExcluir

Participe! Adoraria ver publicado seu comentário, sua opinião, sua crítica. No entanto, para que o comentário seja postado é necessário a correta identificação do autor, com nome completo e endereço eletrônico confiável. O debate sempre será livre quando houver responsabilização pela autoria do texto (Cida Alves)